Biographie

Castro Soromenho (Chinde, Moçambique, 1910 – São Paulo, Brasil, 1968], jornalista, escritor e etnólogo. Em Angola, foi agente da Companhia de Diamantes, funcionário do quadro da administração colonial e, mais tarde, redactor do Diário de Luanda. Deixa Angola em 1937, para fixar residência em Lisboa.
Colaborou nas numerosas revistas antes de abandonar o jornalismo para se dedicar exclusivamente à literatura de ficção e à investigação histórica e etnológica.
A sua atitude intelectual perante a ditadura, que governava Portugal e Colónias, salientava-se por uma crítica frontal, escalpelizadora, tanto a nível social como a nível cultural, com particular incidência sobre a realidade colectiva dos povos africanos, questionando os tabus do etnocentrismo cultural europeu e, sobretudo, os do colonialismo português. O funesto regime de então veio a ordenar a apreensão de obras suas pela polícia política e força-o ao exílio, primeiro em França (Paris), depois nos Estados Unidos e por fim no Brasil.

A sua grande obra é uma trilogia – Terra Morta (1949), Viragem (1957) e A chaga (1970). A ação decorre-se no districto de Camaxilo (região de Lunda), no princípio do século XX, na época das campanhas de « pacificação » e do alargamento do poder da administração colonial.

Ouvrages du même auteur :

A chaga
Terra morta
Viragem