Repórter Brasil. 10 anos de estrada de terra em 17 grandes reportagens

Editeur : Autor
Nombre de pages : 208
Date de parution : 2012
Langue : portugaise
ISBN : 9788561252205
Prix :

18,00

Description :

Lançado em comemoração aos dez anos da ONG Repórter Brasil, em 2012, o livro traz reportagens realizadas em três regiões do país: Norte, Nordeste e Sudeste. O conteúdo, no entanto, demonstra que não podemos restringir a realidade tratada somente a essas regiões. Casos de escravidão moderna e violações de direitos humanos são encontrados em todo o território. É um Brasil que vive à sombra da exploração cotidiana.

A Repórter Brasil é uma organização que procura se distanciar do modus operandida grande mídia. A riqueza de detalhes e o esmero com a apuração jornalística são distinções em relação às mídias que tratam as questões sociais do prisma da criminalidade e da falta de contextualização.

As reportagens, selecionadas pelos jornalistas Leonardo Sakamoto e Lúcia Monteiro, são exemplos da linha de atuação da organização. “A Repórter Brasil tomou uma clara e inequívoca opção pelos empobrecidos e marginalizados, no que se refere à realidade política, econômica, social, cultural e ambiental do país’’, explica Sakamoto. Cobrindo o período de dez anos, as reportagens trazem um panorama sobre a luta cotidiana dos trabalhadores brasileiros, além de estrangeiros que fizeram das terras tupiniquins a sua morada. As reportagens trazem temáticas que vão do latifúndio e da monocultura à escravidão moderna, no campo e na cidade.

O trabalho escravo é um exemplo dos resquícios históricos reformulados dentro do sistema capitalista. A PEC n. 438 (2001), conhecida como “PEC do Trabalho Escravo”, tramita há mais de dez anos no Congresso Nacional. A demora é explicada pela pressão dos interesses de ruralistas. A leitura do trabalho da Repórter Brasil é indicada para a apropriação dessas e de outras temáticas, especialmente em um momento em que a proposta volta para o Senado como PEC 59A/1999. São histórias que incluem um Brasil que se prefere esquecer, que se escolhe ignorar.


Et aussi...