Judiarias, judeus e judaísmo

Editeur : Colibri
Nombre de pages : 272
Date de parution : 2013
Langue : portugaise
ISBN : 9789896893187
Prix :

29,50 19,00

4 en stock

Description :

Em crescimento desde finais do século IX, a cidade de Lisboa conheceu um novo poder, sob o signo da cristandade, a 25 de Outubro de 1147, após a sua conquista por Afonso Henriques, e a rendição do poder islâmico, quatro dias antes. Lisboa era uma cidade cercada por uma muralha erguida em inícios do século IV, reedificada entre finais do século X e inícios do séc. XI, na sequência da investida de Ordoño III, rei de Leão, em 953, referida no Chronicon de Sampiro. E era também, aquando da sua conquista, a maior cidade do Gharb al¬ Andalus, densamente povoada, que somava aos 15 hectares de espaço intra¬ muros dois arrabaldes junto das muralhas – em Alfama e a Ocidente –, estendendo¬ se a área urbana por cerca de 30 hectares, com uma população que atingiria o número de 20 a 25 mil habitantes. Precisamente no arrabalde a ocidente da cidade encontrava-se, desde pelo menos o reinado do primeiro monarca, uma judiaria, datando a sua primeira menção de 1175, registada a aljazaria de Judeos num documento do cartório do mosteiro de Chelas. Uma presença na baixa lisboeta, muito provavelmente anterior à conquista cristã da cidade que poderá explicar a ocupação relativamente tardia do espaço mais afastado da muralha da “baixa” de Lisboa em redor da judiaria, apesar da presença da paróquia de Santa Maria Madalena ser anterior a 1164. Todavia, parece testemunhá-lo a fundação, mais tardia, das paróquias de São Julião e São Nicolau, porém já instituídas em 1191, altura em que encontramos completamente estruturada a rede paroquial da cidade medieval. E é também o testemunho da relação que Afonso Henriques, tal como o seu sucessor manteriam com a comunidade judaica, servindo¬ se da mesma para a conquista e o povoamento do território. Assim se entende a doação determinadas propriedades a Yahia ben Yaisch por Afonso Henriques, como forma de reconhecimento do auxílio prestado ao monarca na luta contra os mouros, nomeadamente na conquista de Santarém, a 15 de Março de 1147, tornando-se aquele senhor de Unhos, Frielas e Aldeia dos Negros. À doação de bens de raíz juntou-se a outorga de privilégios, como parece testemunhar o texto da confirmação do foral de Lisboa, por D. Sancho I. Ao confirmar o foral outorgado por seu pai, o rei ordenava que todos os judeus feridos se queixassem ao alcaide ou alvazis, acrescentando assi como foy costume no tempo de meu padre. Protecção que remontava, pelo menos, a 1179, data a partir da qual parece ser possível atestar a presença do cargo de alvazil na cidade de Lisboa. Carlos Guardado da Silva

INDÍCE

Horizontes de judaísmo, no olhar português de Isaac Abravanel
José Augusto Ramos

Nos primórdios da presença judaica na Península Ibérica: um estado da questão
Nuno Simões Rodrigues

As sinagogas no mundo romano
Vasco Gil Mantas

A comunidade judaica de Torres Vedras, durante a Idade Média (algumas notas)
Pedro Gomes Barbosa

A Judiaria medieval de Tomar
Manuel Sílvio Alves Conde

A Judiaria de Óbidos na Idade Média
Manuela Santos Silva

Presença Judaica no Sueste Transmontano: A Judiaria de Freixo de Espada à Cinta na Idade Média
António Maria Balcão Vicente

Comunidade Judaica de Belmonte: Esquecimento e Memória
Maria Antonieta Garcia

A segregação espacial de uma minoria na Lisboa Medieval: As judiarias (séc. XII a 1383)
Carlos Guardado da Silva

Lagos e a Judiaria Quatrocentista
José António de Jesus Martins

As Comunidades Judaicas da Beira Interior na Idade Média
Isaura Luísa Cabral Miguel

Os judeus e a Judiaria de Torres Vedras até à expulsão de 1496
Ana Maria S. A. Rodrigues

A presença judia na Estremadura medieval portuguesa
Saul António Gomes

Arqueologia dos judeus peninsulares: os casos do Alentejo e Extremadura espanhola no contexto peninsular
Carmen Balesteros

A presença judaica em Alcácer do Sal
Maria Teresa Lopes Pereira

Cristãos Novos e Movimentações Monetárias: Emprestar, Fiar, Penhorar e Hipotecar
Isabel M. R. Mendes Drumond Braga

1912 2012: o centenário da legalização da Comunidade Israelita de Lisboa
Jorge Martins

Entre a história e a lenda: a memória judaica em Portugal ou o desconhecido Portugal judaico
Maria José Ferro Tavares


Et aussi...