Historiando Moçambique : entre os Macuas de Angoche

Editeur : Prelo
Nombre de pages : 204
Date de parution : 1970
Langue : portugaise
Prix :

49,00

Description :

1 ex. d’occasion, sans jaquette.

(...) Nas vésperas da independência de Moçambique, a administração portuguesa percebeu que as disputas internas entre os muçulmanos podiam ser um subsídio importante para o esforço nacionalizador de Portugal.
A. J. de Mello Machado, na sua crônica Entre os Macuas de Angoche, esboçou a possibilidade de que o Islã, supostamente inofensivo, das Confrarias poderia ser mais funcional à causa portuguesa do que o Islã “político” do wahabismo (ou panislamismo) em expansão:
“Têm as Confrarias, é certo, o seu lado simpático e acolhedor. Talvez mesmo por isso sejam elas atacadas pelos integralistas muçulmanos... As Confrarias, associando os seus membros, procurando actividades de ajuda mútua e um aperfeiçoamento da crença, perdem o carácter ativista e agressivo que caracteriza a comunidade muçulmana. Não fossem as ligações ocultas e clandestinas, tentadas e porfiadas por elementos estrangeiros, com finalidades políticas; não fosse o propósito essencial do Islamismo e a sua moderna materialização política, diríamos mesmo que a Confraria poderia ser, se de fato independente de alheias influências, o meio propício à difusão duma política nacionalizadora e integradora dos maometanos portugueses. E devidamente controladas para evitar a ligação dos
elementos adversos, com muito tacto e compreensão pelos preceitos religiosos, com paciente assistência, cremos possível que, por meio delas conseguiremos a adesão a princípios integradores e não a destruição dos mesmos” (...)


Et aussi...