Cœur tellurique (poésies)

Traduction : Patrick Quillier
Editeur : Fédérop
Nombre de pages : 108
Date de parution : 2016
Langue : bilingue
ISBN : 9782857922285
Prix :

14,00

1 en stock

Description :

Héritière de la parole ancestrale des griots, mais aussi des grandes voix africaines du siècle dernier, la poésie de J.A.S. Lopito Feijóo K. est "un chant qui résonne gravement sur les territoires de l'Angola, s'indigne, interpelle, pointe du doigt l'évidente évidence que l'œil peine à voir, témoigne avec vigueur et élan du mystère de la faune et de la flore que délivre la forêt touffue du Bassin du Congo, invoque, à voix nue les bruissements qui détournent le murmure de l'homme" . (Gabriel Okoundji). Le lecteur de "Cœur Tellurique" est donc invité "à entendre battre autrement le pouls de l'identité nègre" à travers "l'émotion capitale" qui émane d'une poésie dont le "verbe porte le souffle" selon la cadence du rythme du tam-tam.

O poeta Lopito Feijóo é, antes de tudo, um dos revolucionários na literatura angolana que não teve presença  decisiva na luta contra o colonialismo português e pela independência de Angola (pois em 1975 tinha somente 12 anos de idade) mas hoje está na vanguarda literária mais representativa do continente africano. Em seus notáveis escritos é nítida a rebeldia com as palavras, a sintaxe e a norma culta do português. Transita com eloquência por poesias politizadas, eróticas, românticas e experimentais. Sem deixar o legado tradicional africano, Lopito invoca expressões idiomáticas do continente com significados emocionantes. De uma Àfrica lutadora, religiosa, sobrevivente sobrevivendo crescendo... Em “Coração Telúrico”, o poeta Lopito nos remete ao universo mais denso e cruel do ser humano. Na poesia “Ousada Auto Grafia”, por exemplo, um canto aos marginalizados na literatura e no mundo e ao próprio escritor, Lopito fustiga imagens autobiográficas comparando à dura dor do escrever uma grande compensação humana: viver a poesia da vida. Como um bruxo embaralhando o destino das palavras, embutidas em sonoridades estridentes Lopito escreve: MISTA RAZÃO Vazio como num vaso seco como num saco vago sigo sozinho sem norte sempre em frente de mente quente no sul sem sorte sem beira nem sonhos só mente razo vazio vasto voo misto rezo são a minha dimensão. Eu vislumbro uma escola na poesia de Lopito, no livro Coração Telúrico, uma nova referência poética neste século XXI, tão parco de novidades. Neste mundo de livros e escritores maravilhosos que passaram por minhas mãos, e por séculos se mantêm na lembrança planetária da literatura mundial, eu aprecio Lopito e só posso sugerir ao leitor que iniciar a leitura: Boa viagem – aproveite o Sol de Angola em Lopito Feijóo com seu Coração Telúrico.


Et aussi...