19/21 rue des Fossés Saint-Jacques
75005 PARIS (place de l’Estrapade)
À 20 m du Panthéon... Tél. : 01 43 36 34 37
Du lundi au samedi, 11-13h 14h-19h
(horaires souvent dilatés...)
Métros : Luxembourg, Cardinal Lemoine, Place Monge – Bus , 21, 27, 82, 84, 89
  •  
La Librairie, c'est aussi

Histórias de amor

Histórias de amor, par José  Cardoso Pires
Auteur : José Cardoso Pires
Editeur : Nelson de Matos
Nombre de pages : 192
Date de parution : 2008
Langue : Portugais
Prix : 29,50 €
ISBN : 978-9899559776
Disponibilité : En stock En stock

O livro que a censura apreendeu em 1952

A primeira edição deste livro foi publicada em Julho de 1952, pela Editorial Gleba, numa colecção de bolso intitulada “Os Livros das Três Abelhas”, dirigida por Victor Palla e Aurélio Cruz.

Foi retirado do mercado pela Censura em 26 de Agosto de 1952.

Tendo sido possível utilizar o exemplar onde estão sublinhadas a lápis azul as partes do texto que motivaram a apreensão da edição, indicam-se nesta edição esses sublinhados, mediante a sobreposição de uma rede de cinzento sobre o texto original, mantido sem cortes. José Cardoso Pires nunca mais publicou este livro na sua versão inicial, embora o tenha mantido sempre na lista das suas obras completas.

Alguns destes contos (excepção feita a Romance com data que permaneceu sempre inédito) foram mais tarde reescritos e incluídos na edição de Jogos de Azar, publicada em 1963, pela Editora Arcádia.

Nesta edição conservam-se todos os contos na sua versão inicial.

José Cardoso Pires, então com 27 anos, decidiu reclamar da apreensão do livro junto dos Serviços de Censura. Primeiro, pessoalmente, tendo conseguido manter em seu poder o exemplar com a indicação dos cortes de censura que serviu de base a esta edição; depois, por escrito, logo em 26 de Outubro de 1952, através da carta que é conservada como anexo no final da edição.

Críticas de Mário Dionísio, Oscar Lopes e Luís de Sousa Rebelo, publicadas em 1952, são também conservadas, no final, como anexos a esta edição.

Na contracapa: reprodução de um óleo de Júlio Pomar, representando um retrato do Autor, datado de 1954.